O GORDO E O MAGRO | A Maior Dupla Cômica da História do Cinema

Eis uma coisa de que ninguém pode duvidar: Stan Laurel e Oliver Hardy formaram a maior dupla cômica do Cinema de todos os tempos. Seus filmes, conhecidos universalmente, continuam sendo vistos com agrado por sucessivas gerações de espectadores, e assim será eternamente. Os críticos jamais os colocaram no mesmo nível de Chaplin ou Keaton, mas não se pode negar que tinham momentos de genialidade.

O GORDO era impaciente e pomposo; O MAGRO, paciente e humilde. Ambos, incrivelmente estouvados, exasperavam as pessoas a quem estavam servindo. Eram verdadeiras crianças grandes, ingênuos, imaturos, embora não se considerassem assim, principalmente o Gordo. Ollie se achava muito esperto, como demonstravam os gestos floreados que fazia quando se preparava para desempenhar uma tarefa; entretanto, ao executá-la, positivava-se a sua estupidez. As trapalhadas nasciam sempre de um ato desmiolado praticado por um deles e, à medida que tentavam se desembaraçar do transtorno inicial, iam se enredando mais na confusão.

Outras vezes, originavam-se de confrontações relativamente brandas que aos poucos chegavam a atos de verdadeira orgia destrutiva. No meio desta, quando o Gordo revidava uma agressão de terceiro, a câmara se voltava para o rosto do Magro que acenava a cabeça, dando plena aquiescência com uma careta irresistivelmente cômica. As situações começavam basicamente reais, mas terminavam absurdamente irreais, e eram descritas numa cadência intercalada de tempos-mortos, nos quais se utilizavam alguns recursos de estilo inconfundíveis.

Stan colocaborava com os diretores, e inventou pelo menos dois maneirismos memoráveis: fazer beicinho de choro, soluçando profusamente ao primeiro sinal de encrenca e coçar os cabelos arrepiados, piscando os olhos como se estivesse compreendendo lentamente o gag que acabara de acontecer.

Oliver não fazia questão de dar sugestões, deixando tudo ao encargo do parceiro, mas criou também alguns maneirismos célebres, como, por exemplo, balançar a gravata tentando parecer amistoso ou a mania de fazer as coisas em primeiro lugar, com conseqüências desastrosas. Entretanto, o mais genial era o famoso camera-look. O Magro fazia uma tolice, o Gordo ficava irritado e fazia uma tolice ainda maior. Após a catástrofe, ele encarava fixamente a câmara, transmitindo todo o seu desespero à platéia por meio de um longo olhar de mártir.

Tais achados se incorporaram aos personagens que, apesar de seu óbvio contraste físico e psicológico se completavam maravilhosamente, e eram vividos pelos dois comediantes num perfeito entrosamento em cena. Stan e Oliver contudo começaram separadamente suas carreiras.

O MAGRO

STAN Laurel (Arthur Stanley Jefferson) nasceu em Ulverston, Lancashire, Inglaterra, em 1890, filho de um empresário teatral. Após comple tar os estudos na King James Grammar School, pisou pela primeira vez nos palcos aos 16 anos, percorrendo o país durante algum tempo com várias companhias, até entrar para a troupe de Fred Karno, da qual já fazia parte Charles Chaplin.

Stan funcionava como substituto de Chaplin numa pantomima, Mumming Bird que, sob o título de A Night at an English Music Hall, foi levada por Karno para os Estados Unidos, onde os dois jovens artistas resolveram seguir seus próprios caminhos.

Depois de participar de espetáculos de vaudeville, Stan fez seu primeiro filme de dois rolos, Nuts In May, em 1917, para o produtor independente Adolph Ramish, sendo a seguir contratado pela Universal; ao terminar o compromisso, voltou para os palcos.

No ano seguinte, retornou aos filmes como freeelancer para vários estúdios, inclusive contracenando com Larry Semon, e fazendo ainda fitas para o produtor e ex-cowboy “Broncho Billy” Anderson, entre elas, Lucky Dog na qual, curiosamente, aparecia Oliver Hardy num pequeno papel.

Seu nome começou a ganhar prestígio com as paródias de filmes populares da época, tais como Sem Luvas Brancas/The Soilers/1920, Legião Estrangeira/Under Two Jags/1920, Lama e Areia/Mud and Sand/1922 (Stan era Rhubarb Vaselino, réplica cômica de Rodolfo Valentino em Sangue e Areia/Blood and Sand/1922), A Bela e o Bicho/Dr Prycle and Mr. Pryde/1925, etc.

Em 1926, decidiu ficar de vez com Hal Roach, mas trabalhando principalmente como gagman e diretor. Até que, certo dia, Hardy cruzaria novamente o seu caminho.

O GORDO

OLIVER Hardy (Oliver Norvell Hardy) nasceu em Harlem, Georgia, Estados Unidos, em 1892, e, ao contrário de Stan, nao tinha ninguém da família no show business. Entretanto, possuía uma bela voz, e aos oito anos de idade chegou a figurar em espetáculos de menestréis, abandonando-os para ingressar no Colégio Militar.

Depois, estudou Direito na Universidade da Georgia, mas, como a matéria não lhe entusiasmava, abriu um cinema na sua cidade e, passado algum tempo, intrigado com o que via na tela, resolveu se tornar ator.

Oliver começou na Lubin, em 1913, no filme Outwitting Dad, fazendo em seguida inúmeras comédias (séries com May Hotely, Bobby Ray, série Pokes and Jabbs, série Plump and Runt) e subseqüentemente prestou serviços a outros estúdios, contracenando com Jimmy Aubrey, Billy West, Larry Semon, etc.

Nessa época, era conhecido como “Babe” Hardy e, por volta de 1926, acabou membro da equipe fixa de Hal Roach, onde atuou com Charlie Chase em comédias digiridas por Leo McCarey e James Parrott, irmão de Chase e até com Buck Jones (sob as ordens de W. S. Van Dyke), um cavalo chamado Rex, e estrelas em declínio como Theda Bara, Pola Negri e Mabel Normand.

A FORMAÇÃO DA DUPLA

Oliver Hardy, Albert Conti, Priscilla Dean, e Stan Laurel em Slipping Wives (1927).

COMO vimos, na companhia de Roach a esta altura estava também Stan Laurel, e quis o destino que, em Slipping Wives/1927, este fosse persuadido a interpretar um dos papéis coadjuvantes ao lado de Oliver, sendo esta a primeira vez em que os dois contracenaram propositadamente.

A partir daí, eles foram se destacando dos demais componentes da stock company de Roach, constituindo-se aos poucos a dupla, até a estréia oficial em Putting Pants on Philip/1927, embora nesta película os personagens de Laurel e Hardy não aparecessem exatamente como seriam conhecidos no futuro.

Seguiu-se The Battle of the Century/1927 que, juntamente com Navegando em Seco/Two Tars/1928 e Negócio de Arromba/Big Business/1929, está entre os melhores da dupla na fase silenciosa; embora, é claro, todos os filmes de Laurel e Hardy tenham momentos irresistíveis.

Em The Battle of the Century (FOTO ACIMA), depois de uma gozadíssima luta de boxe em que o Magro é um dos pugilistas e o Gordo seu agente, os dois se metem com um corretor de seguros que induz Ollie a comprar uma apólice contra acidentes para seu pupilo. A fim de provocar o sinistro, 0llie joga cascas de banana em pontos estratégicos no caminho de Stan, mas outras pessoas escorregam nelas, e tudo acaba numa genuína apoteose do pastelão, com tortas de creme voando para todos os lados.

Em Navegando em Seco, como marujos, saem para passear com as namoradas. No trânsito engarrafado entram em choque com o motorista, que vinha em sua retaguarda, iniciando-se um verdadeiro redemoinho de furor, com a fantástica destruição de toda uma fileira de carros na estrada.

Em Negócio de Arromba, vão vender uma árvore de Natal para o irritadiço James Finlayson. Este bate a porta furiosamente e a árvore fica presa. Eles tocam a campainha de novo. Stan puxa a árvore. Fin bate a porta, prendendo desta vez o casaco de Stan. Stan liberta o casaco e tenta ainda convencer o nervoso freguês a comprar a árvore. Fin bate a porta e prende a árvore novamente. A campainha toca e Fin joga a árvore longe. Stan tem uma grande idéia: talvez Fin queira comprá-la para o próximo ano.

A resposta de Fin é violenta: ele pega uma tesoura de grama e corta a árvore em pedaços. Indignado, Ollie corta alguns fios dos ralos cabelos de Fin. Fin quebra o relógio de Ollie. Ollie arranca a campainha da casa. Fim rasga a camisa de Ollie. Em seguida, sai para a rua, e destrói a mercadoria dos vendedores. A orgia se intensifica, e enquanto Stan e Ollie começam a demolir a casa de Fin, este faz o mesmo com o carro dos dois. Esta escalada de vinganças, soberbamente orquestrada, é o momento supremo do processo de retaliação coletiva tão explorado pela dupla. Trata-se de uma obra-prima irretorquível e inovidável.

No período sonoro, entre os curtas e os longas-metragens, há vários dignos de destaque mas Delícias de um Automobilista/Perfect Day/1929, Ajudante Desastrado/Helpmates/1932 e Caixa de Música/The Music Box/1932, pela extraordinária simplicidade e concisão de seu argumento e mise-en-scène, pelo rigor e perfeição dos gags, devem ser obrigatoriamente lembrados.

Em Delícias de um Automobilista, Stan e Ollie saem para um piquenique com as esposas e o tio, que tem o pé enfaixado. Sempre que tudo parece pronto para a partida, ocorre um incidente — inclusive com o pé do tio, é lógico. Depois de vária frustrações e no meio de reiterados acenos e “goodbyes” dos vizinhos o carro finalmente se movimenta para, logo adiante, submergir na lama.

Em Ajudante Desastrado, Ollie recebe um telegrama informando-lhe que a esposa vai chegar de viagem, e pede a Stan para ajudá-lo a limpar a casa, na maior bagunça depois de uma farra. Na limpeza, sucedem-se as trapalhadas e, no desenlace, após uma explosão, só fica uma cadeira, onde o Gordo, sentado, acata pacientemente a tragédia.

Em Caixa de Música (FOTO ABAIXO), clássico premiado com o Oscar da Academia, os dois vão entregar uma pianola e se deparam com uma enorme escadaria. O filme descreve a aventura sisifiana dos dois até chegarem ao destinatário, magnificamente interpretado por Billy Gilbert com sotaque alemão e o nome de personagem de comédia mais saboroso de todos os tempos: professor Theodore von Schwarzenhoffen, M.D., A.D., D.D.S., F.L.D., F.F.F. und F.

Além desses, dois filmes se impuseram entre os favoritos do público: Fra Diavolo/The Devil’s Brother/1933 e Filhos do Deserto/Sons of the Desert/1933. No primeiro, Olivero Hardio e Stanlio Laurelio, assaltados por bandidos, decidem assumir a identidade do famoso salteador Fra Diavolo e tentam esvaziar os bolsos… do próprio que os utiliza para roubar uma rica aristocrata. No desfecho, os três são presos e condenados à morte; mas, no momento da execução, Stanlio assoa o nariz com um lenço vermelho e atrai dois touros bravios, instaurando-se o pânico. Fra Diavolo foge, e os dois desastrados caem em cima de um touro, que sai em disparada. O segundo, retomando o tema das dificuldades conjugais usado em muitas comédias, e aliando-o com a sátira às irmandades secretas, sobressai pelo retorno de Charles Chase e por ter emprestado o título ao fã-clube internacional, fundado para perpetuar a memória de Laurel e Hardy.

Em 1940, terminados seus contratos com Roach, Stan e Oliver formaram companhia própria, a Laurel and Hardy Feature Productions, mas nunca chegaram a produzir um filme, preferindo excursionar pelo país com o show The Laurel and Hardy Revue, encerrado com um esquete da dupla.

Depois, fizeram filmes para a 20th Century-Fox, MGM, e finalmente A Ilha da Bagunça/Atoll K/1950 para produtoras européias, encerrando aí sua trajetória artística.

Neste trecho da carreira, os dois comediantes não participaram criativamente na realização das fitas, sujeitando-se as imposições dos estúdios, e o resultado foi decepcionante salvando-se apenas o charme natural da dupla.

Na televisão foram homenageados no programa This is Your Life, de Ralph Edwards, e Hal Roach Jr. pensou em fazer uma série com eles, mas Stan teve um enfarte e, pouco após, Oliver viria a falecer, em 1957. Stan recuperou-se e viveu até 1965, tendo recebido, em 1960, um Oscar especial da Academia por seu “pioneirismo criativo no campo da comédia cinematográfica”.

Muito antes disso, porém, Mr. Laurel e Mr. Hardy já haviam conquistado a imortalidade.

OS FILMES

A FILMOGRAFIA de Laurel e Hardy é das mais complexas por causa de fontes errôneas, contraditórias ou incompletas. Laurel teria feito 76 filmes sem Hardy, e Hardy 213 sem Laurel; como dupla, fizeram 105 filmes. Não existe relação completa de todos os filmes nos quais trabalharam separados, em geral como coadjuvantes de outros comediantes de maior renome na época. Há também muita dificuldade de se identificarem os títulos em português com os originais, encontrando-se um do lançamento e outros de reprises, sem falar nos das versões estrangeiras, reuniões de duas comédias e nos da televisão.

Por motivo de espaço, suprimimos os elencos, mas, Por Curiosidade vale a pena assinalar a presença em alguns filmes da dupla de: Lupe Velez, Jean Harlow, Paulette Goddard, Alan Ladd, Robert Mitchum, Jacqueline Wells (Julie Bishop), Horace (Stephen) McNally, Judy Ford (Terry Moore), Rory Calhoun, Robert Blake, Peter Cushing, todos em início de carreira, além de Alan Hale,Ben Turpin, Eugene Pallette, Jimmy Aubrey e os coadjuvantes mais assíduos de Laurel e Hardy: Charlie Hall, Ja-mes Finlayson, Edgar Kennedy, Billy Gilbert, Stanley (Tiny) Sandford, Thelma Todd, Mae Busch, Jack Hill, Harry Bernard, Baldwyn Cook, Anita Garvin, Chalotte Mineau, Robert (Bobby) Burns, Viola Richards, Dorothy Coburn, Kay Deslys, Charley Rogers, Bobby Dunn, Dick Gilbert e Edgar Dearing.

Extirpamos também a maioria das fichas técnicas, sendo porém importante mencionar a atuação de George Stevens como fotógrafo em 25 filmes e a de Leo McCarey como supervisor, argumentista e diretor. James Parrott foi o diretor mais constante, funcionando em 22 filmes.

Uma fonte dá Laurel como tendo dirigido, sem ser mencionado nos letreiros, algumas comédias da série Os Peraltas/Our Gang; outra, afirma que ele produziu faroestes musicais nos meados da década de 30 e uma terceira se refere à contribuição de Frank Tashlin como gagman em três comédias.

A ILHA DA BAGUNÇA (Atoll K, 1950 – França, Itália)
(Filme Completo / Legendas em Português)
Data de Lançamento: 20 de dezembro de 1950

SINOPSE: Indo para uma ilha recém-herdada, os meninos naufragam e são abandonados em um atol que acaba de emergir do mar. Junto com seu cozinheiro, um clandestino e uma garota que está fugindo de seu noivo, eles montaram seu próprio governo no atol. O urânio é descoberto e as potências mundiais começam a lutar pela posse da ilha.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

SOBRE O FILME: Depois de quase 25 anos de parceria ininterrupta, Stan Laurel e Oliver Hardy se reuniram pela última vez no longa-metragem A Ilha da Bagunça, lançado originalmente em 1950. Co-produzido pela França e Itália, o filme marcou a despedida da dupla O Gordo e o Magro, que não filmava há seis anos. Considerada um tanto amarga para alguns, por causa da aparência visivelmente debilitada de Laurel, esta comédia tem importância histórica por registrar o canto de cisne da dupla cômica mais famosa do cinema. Stan e Ollie partem rumo à ilha que herdaram do tio de Laurel, localizada em algum lugar nos mares do sul. Os amigos têm a companhia de um velho marinheiro e um clandestino, mas o barco em que navegam naufraga perto de um atol durante uma tempestade. O quarteto se junta a uma cantora que fugiu do noivo e todos se refugiam na ilha, onde descobrem uma grande quantidade de urânio. O grupo cria um governo independente e luta contra as superpotências que querem o precioso urânio.

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO: Léo Joannon
ROTEIRO: Monte Collins (additional material), Léo Joannon (story), John D. Klorer (dialogue)
GÊNERO: Comédia
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 1h 40min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Stan Laurel … Stan (as Laurel)
Oliver Hardy … Ollie (as Hardy)
Suzy Delair … Chérie Lamour
Max Elloy … Antoine
Suzet Maïs … Mrs. Dolan
Félix Oudart … Le maire
Adriano Rimoldi … Giovanni Copini
Robert Murzeau … Le capitaine Dolan
Luigi Tosi … Le lieutenant Jack Frazer
Michael Dalmatoff … Alecto


OS COZINHEIROS DO REI (Nothing But Trouble, 1944 – USA)
(Filme Completo / Original em Inglês)
Data de Lançamento: 6 de dezembro de 1944

SINOPSE: Dois empregados desastrados são contratados por uma matrona da sociedade para cozinhar e servir uma refeição para visitar a realeza.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO: Sam Taylor
ROTEIRO: Russell Rouse, Ray Golden (screen play), Bradford Ropes (additional dialogue)
GÊNERO: Comédia
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 1h 9min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Stan Laurel … Stan Laurel
Oliver Hardy … Oliver Hardy
Mary Boland … Mrs. Elvira Hawkley
Philip Merivale … Prince Saul
Henry O’Neill … Mr. Basil Hawkley
David Leland … King Christopher / Chris
John Warburton … Ronetz
Matthew Boulton … Prince Prentiloff
Connie Gilchrist … Mrs. Flannigan


TOUREIROS (The Bullfighters, 1944 – USA)
Data de Lançamento: 11 de maio de 1945


A BOMBA (The Big Noise, 1944 – USA)
(Filme Completo / Original em Inglês)
Data de Lançamento: 22 de setembro de 1944

SINOPSE: Durante a Segunda Guerra Mundial, Stan e Ollie se descobrem como improváveis guarda-costas para um inventor excêntrico e sua nova bomba estrategicamente importante.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

SOBRE O FILME: Este é considerado por muitos estudiosos de O Gordo e o Magro como o pior filme da carreira da dupla. Foi o penúltimo filme de Stan Laurel (1890-1965) e Oliver Hardy (1892-1957) na Fox, com os dois envelhecidos e em fim de carreira, e é realmente constrangedor compará-lo com os clássicos deles (de onde, aliás, foram recicladas sem muita criatividade, as poucas gags e situações engraçadas do filme).

Stan e Oliver são dois faxineiros que se passam por detetives e são contratados para proteger um inventor excêntrico que criou uma bomba poderosíssima que tenciona vender para o governo. Eles então enfrentam bandidos que querem o artefato, ao mesmo tempo em que se atrapalham com as invenções malucas do patrão. As situações vão se sucedendo sem muita lógica e aos tropeços, com um terço final especialmente mal composto e desajeitado, forçando uma situação patriótica em plena Segunda Guerra. O jovem Robert Blake, depois o “Baretta” da TV (e que em 2001 foi julgado pelo assassinato da esposa, sendo considerado inocente) interpreta sem oportunidades o pequeno filho do inventor.

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO: Malcolm St. Clair
ROTEIRO: Scott Darling (screenplay), Henry Lehrman (special sequences)
GÊNERO: Comédia
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 1h 14min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Stan Laurel … Stan
Oliver Hardy … Ollie
Doris Merrick … Evelyn
Arthur Space … Alva P. Hartley
Veda Ann Borg … Mayme Charlton
Robert Blake … Egbert Hartley
Frank Fenton … Charlton
James Bush … Hartman


MESTRES DE BAILE (The Dancing Masters, 1943 – USA)
Data de Lançamento: 19 de novembro de 1943


LADRÃO QUE ROUBA LADRÃO (Jitterbugs, 1943 – USA)
(Filme Completo / Dublado em Português)
Data de Lançamento: 5 de junho de 1943

SINOPSE: Stan e Oliver interpretam dois músicos que compõem toda uma orquestra e viajam num calhambeque precário. Em suas andanças, acabam fazendo uma inacreditável aliança com um simpático vigarista (Bob Bailey). Quando o trio participa de um festival, eles conhecem Susan, uma jovem e ingênua cantora (Vivian Blaine), cuja mãe foi tapeada por farsantes. Decididos repentinamente a bancar os cavalheiros, os três arquitetam uma operação utilizando disfarces: Laurel se veste como a tia rica de Susan e Hardy como um texano, tudo para tentar reaver o dinheiro da mãe da garota. Apesar das coisas não saírem exatamente como planejado, a impagável dupla garante gargalhadas constantes do início ao fim desta comédia.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO: Malcolm St. Clair
ROTEIRO: Scott Darling (screenplay), Henry Lehrman (special sequences)
GÊNERO: Comédia, Musical
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 1h 15min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Stan Laurel … Stan
Oliver Hardy … Ollie
Vivian Blaine … Susan Cowan
Robert Bailey … Chester Wright
Douglas Fowley … Malcolm Bennett
Noel Madison … Tony Queen
Lee Patrick … Dorcas
Robert Emmett Keane … Henry Corcoran


SALVE-SE QUEM PUDER (Air Raid Warden, 1943 – USA)
Data de Lançamento: 19 de novembro de 1943


DOIS FANTASMAS VIVOS (A-Haunting We Will Go, 1942 – USA)
Data de Lançamento: 7 de agosto de 1942


BUCHA PARA CANHÃO (Great Guns, 1941 – USA)
(Filme Completo / Dublado em Português)
Data de Lançamento: 10 de outubro de 1941

SINOPSE: Stan e Ollie são respectivamente mordomo e motorista de Dan Forrester, um jovem rico. Cansado de ser paparicado por suas superprotetoras tias, Martha e Agatha, Dan resolve se alistar no exército. Para se assegurarem de que seu jovem patrão não terá qualquer problema durante sua passagem pelo exército, Stan e Ollie também ingressam nas Forças Armadas pensando em protegê-lo, embora não sejam excelentes soldados.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

SOBRE O FILME: Este foi o primeiro filme que Stan Laurel (1890-1965) e Oliver Hardy (1892-1957), a dupla O Gordo e O Magro, fizeram como empregados da Fox, já em fim de carreira. Não exatamente esbanjando saúde e juventude e após anos de liberdade de trabalho nos estúdios de Hal Roach, que era distribuído pela MGM (onde Laurel, o genial criador e mentor da dupla, supervisionava tudo e burilava pacientemente as gags cômicas e os enredos), foi duro para eles se adequarem ao esquema impessoal da unidade de filmes B da Fox. Também os roteiros aos quais eles tiveram que se submeter eram inferiores aos do passado, sem o característico nonsense corrosivo e demolidor da dupla, mostrando-os mais como idiotas simpáticos em situações características das comédias baratas do período.

Este ainda é um dos melhores dos seis filmes que eles fizeram no estúdio, com alguns momentos de brilho. Stan e Oliver vão para o quartel cuidar de seu jovem patrão (Dick Nelson), que um médico malandro dizia ser doentio, mas se revela normal e ativo. Só que ele se envolve com uma garota (Sheila Ryan) e eles tentam separar os dois, achando que o romance será ruim para o rapaz. O filme perde muito tempo com a trama romântica (que em uma cena usa até um jovem Alan Ladd como figurante) e a promissora situação da dupla em confronto com o rigor do exército, não chega a ser explorada a contento.

Mas há alguns momentos de riso e pelo menos uma seqüência clássica, a da lâmpada que só acende quando está na mão de Stan. Foi um grande sucesso na época, mantendo a dupla em atividade no estúdio pelos quatro anos seguintes, antes de encerrarem suas carreiras no cinema americano.

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO: Monty Banks
ROTEIRO: Lou Breslow (original screenplay)
GÊNERO: Comédia, Guerra
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 1h 14min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Stan Laurel … Stan
Oliver Hardy … Oliver
Sheila Ryan … Ginger Hammond
Dick Nelson … Dan Forrester
Edmund MacDonald … Hippo
Charles Trowbridge … Col. Ridley
Ludwig Stössel … Dr. Schickel
Kane Richmond … Capt. Baker
Mae Marsh … Aunt Martha
Ethel Griffies … Aunt Agatha


MARUJOS IMPROVISADOS (Saps at Sea, 1940 – USA)
(Filme Completo / Dublado em Português)
Data de Lançamento: 3 de maio de 1940

SINOPSE: O Gordo tem um colapso nervoso por trabalhar demais e o magro sugere que os dois saiam ao mar para relaxar. Mas o oceano nunca mais será o mesmo depois do cruzeiro da dupla.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

SOBRE O FILME: Esta incursão final da dupla no estúdio Hal Roach era um dos filmes favoritos do grande Winston Churchill, ele foi exibido a bordo do HMS Prince of Wales durante a viagem para Newfoundland, onde ele se encontrou com Roosevelt para estabelecer a Carta do Atlântico.

A trama segue eficiente, apesar de não ser uma das melhores, inegavelmente arrastada em sua estrutura episódica, conta com alguns momentos brilhantes, como aquele em que Stan descasca uma banana e se surpreende com o que (não) encontra, e o segmento hilário em que eles preparam uma refeição repulsiva e, para azar deles, acabam sendo forçados a comê-la, uma aula de timing cômico, com inspiração clara na cena de “Em Busca do Ouro”, em que Chaplin devora a sua botina.

Vale ressaltar também a presença na obra do sempre carismático bigodudo James Finlayson, a sua última parceria com a dupla.

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO: Gordon Douglas
ROTEIRO: Charley Rogers, Felix Adler, Gilbert Pratt (original story)
GÊNERO: Comédia
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 56 min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Stan Laurel … Stan
Oliver Hardy … Ollie
James Finlayson … Dr. J.H. Finlayson
Ben Turpin … Cross-Eyed Plumber
Richard Cramer … Nick Grainger
Harry Bernard … Harbor Patrol Captain
Eddie Conrad … Prof. O’Brien


DOIS PALERMAS EM OXFORD (A Chump at Oxford, 1940 – USA)
(Filme Completo / Dublado em Português)
Data de Lançamento: 16 de fevereiro de 1940

SINOPSE: Stan Laurel recebe uma bolsa de estudos para Oxford, e Oliver Hardy o acompanha. Eles são o alvo de piadas e travessuras até que Stan recebe um golpe na cabeça e se torna a reencarnação de um herói da universidade.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

FICHA TÉCNICA:
DIREÇÃO: Alfred J. Goulding
ROTEIRO: Charley Rogers, Felix Adler, Harry Langdon (original story)
GÊNERO: Comédia
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 1h 2min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Stan Laurel … Stan Laurel / Lord Paddington
Oliver Hardy … Oliver Hardy
Forrester Harvey … Meredith
Wilfred Lucas … Dean Williams
Forbes Murray … Banker
Frank Baker … Jenkins – the Dean’s Servant
Eddie Borden … Student Ghost
Gerald Rogers … Student Johnson
Victor Kendall … Student Cecil
Gerald Fielding … Student Brown


Fontes de Pesquisa/Textos: Cinemin/A. C. Gomes de Mattos, iMDB, Filmow.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s