OS OUTROS SERIADOS | Os Grandes Seriados do Cinema 

Falar sobre os grandes seriados do passado é um prazer, mas, a fim de deixar espaço para outros temas fascinantes do Cinema, vamos encerrar esta série de postagens, apontando, sem compromisso, mais algumas fitas importantes no gêneto, entre as 231 realizadas no período sonoro.

As aventuras aéreas sempre despertaram o interesse do público e houve vários seriados com heróis aviadores, destacando-se entre eles, Tailspin Tommy/O Rei das Nuvens/1934, Captain Midnight/Capitão Meia-Noite/1942 e Blackhawk/O Falcão Negro/1952.

O Rei das Nuvens, da Universal, dirigido por Louis Friedlander (Lew Landers) e baseado nos quadrinhos de Hal Forrest, focalizava um jovem mecânico, Tommy Tompkins (Maurice Murphy), que ajudava o ás da aviação, Milt Howe (Grant Withers) a ganhar a concessão da mala postal, e depois se tornava também um intrépido piloto, enfrentando o vilão Tiger Taggart (John Davidson), concorrente da Three Points Airlines, empresa na qual Tommy e Howe trabalhavam. A certa altura, Tommy era contratado por um produtor de cinema, para participar de um épico de aviação, e seu patrão, querendo colaborar no projeto, empenhava a empresa afim de obter financiamento. Sabendo disso, Taggart tenta arruinar a produção, para assumir o controle da Three Points, e manda seu capanga Hoyt (Walter Miller) bombardear os sets de filmagem. Prevenido por sua amiguinha, Betty Lou (Patricia Farr), Tommy voa atrás de Hoyt e consegue fotografar o bombardeio, evitando os prejuízos. O seriado teve uma seqüência em 1936, Tailspin Tommy in The Great Air Mystery/O Grande Mistério, sob direção de Ray Taylor, mas com Clark Williams e Jean Rogers nos papéis de Tommy e Betty Lou.

Em 1939, a Monogram realizou quatro longas-metragens classe “B” Mystery Plane/O Avião Misterioso, Stunt Pilot/0 Piloto Temerário, Sky Patrol/Patrulha Noturna e Danger Flight/Escoteiro do Ar, todos com John Trent (ex-piloto de verdade) e Marjorie Reynolds.

O Capitão Meia-Noite (FOTO ABAIXO), da Columbia, seriado oriundo do rádio, dirigido por James Horne, mostrava um mocinho, protagonizado por Dave O’Brien, que vestia um uniforme de couro mostrando no peito a insígnia de um relógio com asas e os ponteiros indicando meia-noite. Seu inimigo Ivan Shark (James Craven), traidor a serviço dos nazistas, no derradeiro episódio, tentava eliminar seus prisioneiros (entre eles a mocinha, Joyce, vivida por Dorothy Short), mas o Capitão Meia-Noite chegava a tempo de salvá-los, e o bandido morria eletrocutado pelo invento maligno com o qual pretendia fazer mal à nação americana.

O Falcão Negro, talvez o mais popular dos três, também produzido pela Columbia e dirigido por Spencer Bennet, trazia o “Super-Homem”, Kirk Alyn, como o líder de um esquadrão (composto de pilotos de variadas nacionalidades) e um chinês engraçado, chamado Chop Chop (Weaver Levy), que enfrentavam o bando de sabotadores comandados por uma bela espiã, Laska (Carol Forman), logicamente capturada no final pelo Falcão. No gênero, a Columbia fez ainda Hop Harrigan/O Raio Destruidor/1946 e Bruce Gentry, Daredevil of the Air/O Disco Voador/1949.

O mesmo estúdio fez ainda Mandrake, the Magician/Mandrake, o Mágico/1939 e Terry and the Pirates/Terry e os Piratas/1940, respectivamente dirigidos por Sam Nelson/Norman Deming e James Horne. No primeiro, o conhecido personagem dos comics era interpretado por Warren Hull, com Al Kikume como Lothar; Hull, porém, não usava aquele bigodinho fino imaginado por Lee Falk e… nada de Narda. Na verdade, só citamos o seriado por causa do prestígio do herói. Tanto esta versão cinematográfica como as duas da tevê (a mais antiga com Cal Norton/Woody Strode e a recente com Anthony Herrera/Ji-Tu Cumbuka) tiveram destino ingrato em termos de audiência.

Por curiosidade, no Brasil, houve uma série da TV Record, com Durval dos Santos e Laurindo, quase esquecida pelos pesquisadores. No segundo, William Tracy personificava Terry Lee, o rapaz inventado por Milton Caniff, filho de um arqueólogo americano em expedição na África que, na companhia de seu criado chinês, Connie (Allen Jung), e do gigante Big Stoop (Victor de Camp) fez as delícias de toda uma geração, vivendo lances emocionantes na defesa da misteriosa Mulher-Dragão (Sheila Darcy) contra os ameaçadores Homens-Tigres, açodados pelo tirano Fang (Dick Curtis). Para os que gostam de detalhes, no radio, quem emprestou a voz para a Dragon Lady foi a wellesiana Agnes Moorehead.

INESQUECÍVEIS foram ainda dois seriados da Republic, Darkest Africa/A Deusa de Joba (FOTO ABAIXO) e Undersea Kingdom/0 Império Submarino, ambos de 1936, e dirigidos por B. Reeves Eason e John English. A Deusa de Joba tinha o famoso domador Clyde Beatty no papel dele mesmo, auxiliando um jovem das selvas africanas a resgatar sua irmã, Valerie (Elaine Shepard), a Deusa de Joba, dominada por um sacerdote ambicioso. No caminho, eles sofriam toda sorte de ciladas e ataques, inclusive de Homens-Alados, terminando tudo num tremendo terremoto.

Já a ação de O Império Submarino transcorria no fundo do oceano, no continente perdido de Atlantis, onde se confrontavam os seguidores de Sharad (William Farnum), sumo-sacerdote dos verdadeiros atlantis e os adeptos de Unga Khan (Monte Blue), o déspota que construíra uma máquina terrível com a qual intentava conquistar o mundo da superfície. Ray “Crash” Corrigan fazia o mocinho, um oficial de marinha que, ao investigar a causa dos tremores de terra provocados pela arma diabólica de Unga Khan, chega, via submarino, a Atlantis, e lá se depara com os Volkites, monstros metálicos, tipo robôs, e um poderoso engenho blindado. Tudo naquele clima de Flash Gordon, só que debaixo d’água.

AINDA na área da ficção científica foram marcantes, The Purple Monster Strikes/Marte Invade a Terra/1945 e Brick Bradford/Brick Bradford/1947, antecipando a era áurea dos anos cinquenta, quando a sci-fi irrompeu com força nos longas-metragens. MUITOS outros seriados poderiam ser relacionados e cada leitor se recordará de algum de sua preferência que não foi mencionado. Mas nossa intenção não foi esgotar o assunto.

CODY, O MARECHAL DO UNIVERSO (Radar Men from the Moon, 1952 – USA)
(Filme Completo / Dublado em Português)
Data de Lançamento: 9 de janeiro de 1952

SINOPSE: Na trama de Radar Men from the Moon, alvos estratégicos da Terra estão sendo destruídos por armas desconhecidas. O chefe de segurança do governo, Henderson (Don Walters), suspeita de um raio atômico vindo da Lua. Assim, ele aciona Commando Cody (George Wallace), para fazer uma viagem secreta e investigar sua suspeita. Sua missão não será nada simples, ele terá que ir com seu foguete experimental até a Lua, e evitar, sozinho que a Terra seja invadida.

Assista o seriado completo no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

SOBRE O SERIADO: Este seriado da Republic em 12 episódios, um dos últimos do estúdio, foi produzido quando o gênero já estava em seus dias finais, competindo com a TV. Influenciado pelo clima da Guerra Fria (com um povo estranho e hostil ameaçando a liberdade), misturando em doses iguais policial e ficção-científica típica da época, é um seriado bastante ingênuo e cientificamente absurdo.

O herói, o marechal-do-ar do Universo Commando Cody (George Wallace), cruza os céus da ensolarada Lua em seu traje voador composto de calças e sapatos comuns, um blusão de couro com jatos nas costas e um capacete solto na cabeça, mais cômico do que espacial.

Há a reciclagem habitual das tomadas de efeitos especiais de episódio para episódio, mas o seriado também abusa no uso de cenas e objetos dos arquivos da Republic. O uniforme de Cody, por exemplo, já tinha aparecido em “O Homem Foguete” (“King of The Rocket Man”, 1949) e a cidade lunar nada mais é que a Cidade Perdida de Joba, de “A Deusa de Joba” (“Darkest Africa”, 1936).

Mas o seriado é movimentado e bem interpretado, com cliffhangers (os suspenses finais de cada episódio) bem bolados, e não decepcionará os adeptos do gênero. E ainda tem um atrativo extra para os que curtem a ficção-científica muito peculiar, hoje trash e involuntariamente cômica, dos anos 50. O cowboy Clayton Moore (1914-1999), o Zorro do cinema e da série de TV, faz um dos vilões. 

LISTA DE EPISÓDIOS:

  1. Moon Rocket
  2. Molten Terror
  3. Bridge of Death
  4. Flight to Destruction
  5. Murder Car
  6. Hills of Death
  7. Camouflaged Destruction
  8. The Enemy Planet
  9. Battle in the Stratosphere
  10. Mass Execution
  11. Planned Pursuit
  12. Death of the Moon Man

DIREÇÃO: Fred C. Brannon
ROTEIRO: Ronald Davidson
GÊNERO: Ação, Aventura, Sci-Fi
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 2h 47min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
George Wallace … Commando Cody
Aline Towne … Joan Gilbert
Roy Barcroft … Retik
William Bakewell … Ted Richards
Clayton Moore … Graber
Peter Brocco … Krog
Robert R. Stephenson … Daly
Don Walters … Henderson
Tom Steele … Zerg
Dale Van Sickel … Alon
Wilson Wood … Hank
Noel Cravat … Robal
Baynes Barron … Nesor
Paul McGuire … Bream
Ted Thorpe … Al’s Cafe Bartender
Dick Cogan … Jones


MISTÉRIO DO DISCO VOADOR (Flying Disc Man from Mars, 1950 – USA)
(Filme Completo / Dublado em Português)
Data de Lançamento: 25 de outubro de 1950

SINOPSE: O invasor marciano Mota pretende conquistar a Terra, pois o planeta Marte está preocupado com seu uso da nova tecnologia nuclear. Eles consideram que seja muito mais seguro e benéfico para ambos, Terra e Marte, que os marcianos estejam no comando. Mota, tendo sido abatido por uma arma experimental de raios, chantageia o cientista estadunidense e antigo nazista Dr Bryant para ajudá-lo, e contrata alguns criminosos como seus capangas. Kent Fowler, o piloto que abateu Mota com a arma de raios do Dr Bryants, se vê envolvido nestes eventos enquanto trabalhava de segurança para instalações atômicas industriais.

Assista o seriado completo no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

SOBRE O SERIADO: Os seriados eram aventuras destinadas ao público juvenil. Eles eram exibidos nos cinemas em doze ou quinze capítulos semanais de cerca de 15-20 minutos cada. Cada capítulo terminava com a heroína amarrada a uma linha férrea antes de um trem que se aproximava, o herói pendurado na beira de um penhasco com a ponta dos dedos (o que deu origem ao termo ‘cliffhanger’) ou algo parecido. O público teria que esperar até a semana seguinte, onde os meios pelos quais eles escaparam desse perigo seriam revelados no início do capítulo seguinte. Embora o foco principal fosse a aventura, as séries variavam em vários gêneros, incluindo o faroeste, o filme G-Man, as primeiras apresentações de super-heróis nas telas e, é claro, as aventuras espacial, que incluía clássicos como Flash Gordon (1936) e Buck Rogers (1939). A série atingiu seu auge durante as décadas de 1930 e 40, e acabou morrendo em meados da década de 1950 com a chegada da televisão.

O seriado Flying Disc Man from Mars, de doze capítulos, foi feito pela Republic Pictures, cujo nome era sinônimo de filmes produzidos de forma barata durante esse período. Como resultado, ele vem com muitos episódios reaproveitados e cortados – o Capítulo 10, por exemplo, consiste quase inteiramente em cenas recicladas dos capítulos anteriores.

Flying Disc Man from Mars foi um dos primeiros filmes de invasores alienígenas. O gênero teria começado no ano seguinte com The Thing from Another World (1951) e, em seguida, em grande forma com The War of the Worlds (1953). Apesar da vanguarda, Flying Disc Man from Mars não funciona muito bem como um filme de invasor alienígena. Há apenas um único invasor que freqüentemente abandona seu macacão alienígena por um terno trespassado normal e chapéu. A maior parte da correria é na verdade feita pelos capangas do vilão industrial e envolve uma série de esquemas de roubo industrial, enquanto a ação consiste em coisas mundanas como perseguições de carros, brigas e acrobacias aéreas variadas.

LISTA DOS EPISÓDIOS:

  • 1. Menace from Mars
  • 2. The Volcano’s Secret
  • 3. Death Rides the Stratosphere
  • 4. Execution by Fire
  • 5. The Living Projectile
  • 6. Perilous Mission
  • 7. Descending Doom
  • 8. Suicidal Sacrifice
  • 9. The Funeral Pyre
  • 10. Weapons of Hate
  • 11. Disaster on the Highway
  • 12. Volcanic Vengeance

DIREÇÃO: Fred C. Brannon
ROTEIRO: Ronald Davidson
GÊNERO: Ação, Aventura, Sci-Fi
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 2h 16min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Walter Reed … Kent Fowler
Lois Collier … Helen Hall
Gregory Gaye … Mota
James Craven … Bryant
Harry Lauter … Drake
Richard Irving … Ryan
Sandy Sanders … Steve
Michael Carr … Trent
Dale Van Sickel … Watchman
Tom Steele … Taylor
George Sherwood … Gate Guard
Jimmy O’Gatty … Grady
John De Simone … Curtis
Lester Dorr … Crane
Dick Cogan … Kirk


A DEUSA DE JOBA (Darkest Africa, 1936 – USA)
(Filme Completo / Legendado em Português)
Data de Lançamento: 15 de fevereiro de 1936

SINOPSE: Recrutado para salvar a irmã raptada de Baru, uma criança da selva, Clyde Beaty parte em uma perigosa jornada à cidade perdida de Joba, e encontra diversos obstáculos em seu caminho. Os terríveis homens-morcegos ameaçam Beatty e Baru na Terra Proibida, e os perversos homens-tigres poderão talvez mudar todo o seu destino.

Assista o filme no player acima ou CLICANDO AQUI. Use a linha de comando no canto inferior direito para visualizar em tela cheia (fullscreen).

SOBRE O SERIADO: Quando se fala nos seriados, onipresentes nas matinês dos cinemas nas décadas de 30 e 40 e que deixavam a garotada (e, claro, muitos adultos também) eletrizados esperando o próximo episódio na semana seguinte, a menção ao estúdio Republic é obrigatória.

Este foi o primeiro (de um total de mais de 60) realizado por eles, em 1936, com 15 episódios. Caprichado e bem produzido dentro dos limites orçamentários do gênero, é estrelado pelo famoso domador Clyde Beatty (1903-65), um nome lendário do mundo do circo nos EUA e que faria outros seriados e filmes, sempre aparecendo como ele mesmo. Ele ajuda um garoto das selvas (o gordinho e esquisito Manuel King, que os créditos identificam como o menor domador do mundo e que nunca mais fez nada) a salvar sua irmã (a inexpressiva Elaine Shepard, que apareceria rapidamente em “Topper, O Casal do Outro Mundo”, com Cary Grant) tomada por uma deusa em cidade lendária.

A inventiva trama, que nos anos seguintes seria incessantemente reutilizada, envolve um sumo sacerdote desonesto, vilões ladrões de diamantes, tribos selvagens, um gorila que ajuda os heróis e até soldados alados, os Homens-Morcego. São bem bolados também os cliffhangers (aquelas situações de perigo em cada final de episódio onde os heróis enfrentam a morte, escapando de uma forma que é mostrada no início do seguinte) e os cenários e efeitos especiais são de boa qualidade.

Há um certo abuso na reciclagem de cenas de um episódio para outro (que se tornaria regra nos seriados e fica ainda mais evidente em DVD, assistindo todos em seqüência), e a trilha musical, utilizando stock music (música pré-composta, de arquivo, que os estúdios habitualmente usavam em produções de baixo orçamento), é especialmente deslocada e mal selecionada.

Mas ainda assim é um grande exemplar do gênero, indispensável para os aficionados pelo valor histórico. O diretor B. Reeves Eason (1886-1956) havia chefiado a segunda unidade que filmou a corrida de quadrigas em “Ben-Hur” mudo de 1925, e faria também, novamente como diretor de segunda unidade, o incêndio de Atlanta em “E O Vento Levou”.

O co-diretor Joseph Kane (1894-1975) seria depois o principal diretor de westerns B da Republic, com uma infinidade de filmes de John Wayne, Roy Rogers e Gene Autry em seu currículo. DVD duplo, sem extras, e com cópia de qualidade mediana. Aparentemente para coibir a pirataria, a distribuidora colocou um pequeno logotipo no canto da tela no começo de cada episódio.

DIREÇÃO: B. Reeves Eason, Joseph Kane
ROTEIRO: John Rathmell, Barney A. Sarecky, Ted Parsons (screenplay)
GÊNERO: Aventura
ORIGEM: USA
DURAÇÃO: 4h 33min
»
»
ELENCO PRINCIPAL:
Clyde Beatty … Clyde Beatty
Manuel King … Baru Tremaine
Elaine Shepard … Valerie Tremaine
Lucien Prival … Dagna
Wheeler Oakman … Durkin
Edward McWade … Gorn
Edmund Cobb … Craddock
Ray Turner … Hambone
Donald Reed … Negus
Joseph Byrd … Nagga
Ray Corrigan … Bonga / Samabi
Joe De La Cruz … Slave
Harrison Greene … Driscoll
Prince Modupe … Tiger Men Chief
Eddie Parker … Sentry
Henry Sylvester … Tomlin


Fontes de Pesquisa/Textos: iMDB, Filmow, CinemaUOL/Rubens Ewald Filho, Cinemin/A. C. Gomes de Mattos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s